Implantes Hormonais

Entre em contato
conosco hoje mesmo.

Sem compromisso.
Implantes HormonaisEntenda as principais indicações para a reposição hormonal.

Os implantes são uma modalidade pela qual se faz inúmeros tipos de tratamentos hormonais para as mais diversas causas. Terapia de Reposição Hormonal (TRH); Endometriose; Tensão Pré Menstrual (TPM); Hemorragias; Perda óssea acentuada – Osteoporose; Miomas; Menopausa e Andropausa; estão entre as principais alterações da saúde onde, a reposição hormonal, representa uma importante modalidade de tratamento.


Há motivos para se temer ao tratamento de reposição hormonal?

As pessoas, de uma maneira geral, ainda têm muito receio dos "tratamentos hormonais" por questões diversas, por vezes pessoais, e outras sociais. Há muito receio da associação dos hormônios com os cânceres de mama, próstata, fígado, etc. Importante notar que, apesar de haver uso inadequado e lesivo de formulações hormonais, também há muito preconceito e desinformação a este respeito.
Se considerarmos os benefícios que as terapias de reposição hormonal podem trazer, veremos se tratar de um significativo avanço no tratamento de doenças e na manutenção da saúde. Entre alguns exemplos estão os tratamentos hormonais do diabetes, do hipotireoidismo e dos distúrbios do crescimento.


O que é importante reconhecer na reposição hormonal?

Na mulher, a reposição hormonal, iniciada precocemente, aos primeiros sinais da menopausa, pode conferir proteção ao câncer de mama e do intestino, além das doenças cardiovasculares. Para isso, é importante atentar para o seguinte:

1 - A modulação hormonal tem um caráter próprio a cada organismo e as doses utilizadas devem ser personalizadas, segundo a necessidade de cada um. O início da terapia de reposição hormonal deve ser precoce.

2 - Há uma nítida preferência pelos hormônios bioidênticos, ou seja, aqueles que são idênticos, em estrutura química, aos hormônios naturais. No entanto, as sínteses de hormônios biossintéticos que possuem modulação seletiva dos receptores hormonais são uma grande esperança na terapia hormonal dos cânceres da mama, do endométrio e da próstata.

3 - A via de utilização do medicamento, por onde entra no organismo e como é metabolizado e eliminado, tem grande importância sobre os efeitos terapêuticos e também sobre os efeitos colaterais da reposição hormonal. Neste aspecto, as vias transdérmica e subcutânea (implantes), tem a preferência na administração, pois estas evitam a interação do hormônio com a mucosa do sistema digestivo, seus ácidos e enzimas, e também, um fenômeno conhecido como metabolização de primeira passagem pelo fígado – ou seja, antes de chegar aos tecidos onde se dará o efeito, o hormônio passa pelo fígado e sofre sua primeira transformação em um novo produto.

4 - Devemos utilizar sempre as menores doses necessárias para que se alcance o efeito desejável, com o mínimo de efeitos colaterais.


Há contraindicações ao uso de reposição hormonal?

A maior das contra indicações ao uso dos hormônios sexuais (esteróides) é a doença tromboembólica, especialmente em pessoas que apresentam história da doença na família ou algum evento anterior, como no pós parto, por exemplo. As demais limitações ao uso da reposição hormonal devem ser particularizadas
Os implantes hormonais são considerados na atualidade, uma opção excelente para a reposição hormonal, pois podem conter doses personalizadas, combinação especifica, tempo de uso mais prolongado e, distribuição das doses ao longo do tempo, incomparável com outras formas de administração, e, sobretudo, resulta ganho na qualidade de vida e na eficácia no tratamento.


Como é feito essa reposição hormonal?

Os implantes hormonais são feitos de tubo de silicone polimerizado (silastic), preenchidos com o produto hormonal em pó, muito fino (micronizado). Medem cerca de 40 mm de comprimento por 1 mm de espessura.
A aplicação é feita em consultório, sob anestesia local, por um orifício de 3 mm de tamanho. Não há pontos, ou qualquer restrição, à volta das atividades normais após o procedimento. São eficazes, seguros e discretos


Quais são os hormônios mais utilizados?

Estradiol ou estrogênio – hormônio bioidêntico
É o principal hormônio feminino e, acredita-se, seja o responsável pelas características físicas, mentais e psíquicas, típicas da feminilidade. O desejo sexual, associada ao desejo da maternidade, as belas formas femininas, pele macia e cabelos exuberantes também são típicos deste hormônio. O estrogênio tem ações diretas sobre a formação dos ossos, o desenvolvimento das mamas, útero, vulva e vagina, a qual confere umidade e elasticidade. A ausência ou diminuição do estradiol na menopausa, natural ou cirúrgica, faz com que haja uma aceleração ou, um envelhecimento precoce. Alterações no metabolismo do cálcio e do fósforo contribuem para a osteoporose e o aumento das doenças coronarianas. Com a perda da viscosidade da pele e das mucosas, aparece a secura vaginal, a queda na libido, dor na relação, infecções urinárias repetidas e incontinência urinária. Sintomas mentais e emocionais como ondas de calor, irritabilidade e depressão também são, em grande parte, atribuídos a queda dos níveis do estradiol. Os implantes de estradiol contêm 50 miligramas em cada tubo, para efeito prático, pode ser combinado a outros implantes contendo progesterona, testosterona e gestrinona.

Testosterona
hormônio androgênio bioidêntico, presente nos homens e nas mulheres em proporções que variam de 2:1 a 10:1. Estes hormônios são conhecidos por seu poder anabolizante, que deriva da capacidade que tem de reter elementos como o nitrogênio, fósforo, potássio e enxofre e, a partir destes, metabolizar proteínas. Por este motivo são importantes no desenvolvimento de ossos e músculos, e, no aumento da energia e da força destes. Uma função bastante relevante da testosterona é promover o aumento da libido e do desejo sexual. Os androgênios agem modulando a ação dos estrogênios, por vezes acentuando os efeitos hormonais, como no caso dos ossos e músculos, e, por vezes, antagonizando os efeitos, como no caso das mamas. Por apresentarem estas características, são frequentemente associados ao estradiol na terapia de reposição hormonal (TRH), com resultados muito gratificantes às usuárias. Entre outras aplicações da testosterona estão o tratamento da mastalgia ou dor mamária, o controle da metrorragia, no tratamento dos miomas, na endometriose, e na osteoporose. Seus efeitos anabolizantes são úteis em doenças de emagrecimento crônico como anorexia nervosa, na recuperação após cirurgias e acidentes, crescimento retardado em crianças e adolescentes e outras situações, de estrita recomendação médica. Nos homens, a testosterona é utilizada como terapia de reposição hormonal no Hipogonadismo, na infertilidade masculina com oligoespermia e no DAEM - Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino, também conhecido como Andropausa. Os implantes, contendo 50 mg cada, podem ser inseridos em intervalos de 12 a 18 meses.

Gestrinona
é um esteróide sintético com propriedades androgênica, antiestrogênica, antiprogestogênica e antigonadotrópica. Faz um potente bloqueio da ovulação, e pode ser utilizado, em situações análogas ao uso da testosterona e, igualmente, pode ser combinada ao estrogênio e a progesterona, com a finalidade de reduzir os potenciais efeitos colaterais. Tem um efeito excelente sobre a endometriose, a osteoporose e a TPM. Atua na redução de miomas e no sangramento uterino. Os implantes, contendo 50 mg cada, podem ser inseridos em intervalos de 12 a 18 meses.

Elcometrina - Progestinico Biossintético
Tem a particularidade de ser desprovido dos efeitos androgênicos e anabolizantes da testosterona e da gestrinona e de não apresentar ganho de peso ou de pelos.

O produto não é absorvido pela via oral, mas sim na forma de implante. No Brasil, está aprovado para o uso anticoncepcional, mesmo durante a lactação, sendo considerado altamente eficaz e totalmente reversível. A ação de supressão da ovulação que a elcometrina exerce sobre a hipófise é, tão intensa, que permite seu uso similar aos análogos do GnRh no tratamento da TPM, miomas e endometriomas, com pouquíssimos efeitos colaterais. Uma dose única de apenas 50 mg é capaz de produzir efeitos duradouros em torno de 6 a 9 meses de tratamento.

Como Pagar Marque Sua Consulta
Depoimentos

Em 2011, tive uma perfuração na bexiga após uma histerectomia. Vinha sofrendo desde então, sendo privada de ter uma vida normal.

Tive que usar fraldas durante toda a minha luta para tentar solucionar o problema.Fui encaminhada pelo Dr. Max para fazer a cirurgia com o Dr. Celso Ronsini.

Ver mais...

Sou triatleta, tive uma lesão no treino de bicicleta, e após passar por três médicos diferentes sem obter um diagnóstico, meu marido conseguiu contato com a "CosmeticVacations - Michael Boeckle" , o qual nos indicou o Dr. Celso Ronsini, que me foi uma grata e feliz surpresa, pois diagnosticou na hora o problema e começou imediatamente o tratamento.

Ver mais...